Por Amanda Almeida!
Games

Enredo e os Games

thumb-games

Enredo.
s.m
1 ato de enredar ou enredar-se
2 embaraço
3 situação complicada
4 confusão
5 intriga; mexerico
6. conjunto de acontecimentos que constituem a ação de uma narrativa; trama; intriga.

Todos nós gostamos de uma boa história, seja em um livro, filme, novela, e até mesmo, porque não, em uma propaganda. Uma história bem contada nos chama a atenção, atiça a nossa curiosidade e nos faz querer saber sempre mais. E não é estranho que hoje, também os jogos, queiram além de entreter, contar uma boa história.

Eu fiquei durante uns bons anos longe dos consoles, mas nunca me esqueço do meu primeiro vídeo game e também do meu primeiro jogo; Super Mário world. Naquela época as cosias eram mais simples, gráficos modestos, mas que para época eram inovadores. Entretanto, mesmo com essas simplicidade, se compararmos com o que temos hoje, os jogos já contavam uma história e davam certa importância para o enredo.

A primeira coisa que percebi quando comecei a jogar Mário foi que eu estava incorporando um herói que precisava salvar uma princesa e libertar um reino inteiro da tirania do Bowser(ou koopa para os íntimos). E jogo após jogo, me encantava com a jogabilidade, as fases difíceis, mas também com a história que jogo queria passar.

Pensando um pouco sobre os jogos dessa nova geração, percebo que alguns deles são verdadeiros filmes. Um exemplo é uma das franquias de jogos que se tornou de longe minha favorita; Tomb Raider. Depois de Jogar Tomb Raider 2013 e Rise of the tomb Raider percebi que o ponto forte, fora a força e inteligência da Lara, é a história que o jogo conta. O nascimento dessa heroína e todas as dificuldades pelas quais ela passou e vêm passando. Como uma série de tevê que você fica louco pra saber sobre o próximo capítulo, assim eu fiquei quando comecei a jogar a sequência do Reboot da franquia. Em Rise muito da história da Lara começou a ser contada e eu fiquei morta de curiosidade para saber mais. A “resenha” do jogo ainda vai virar um post aqui no blog, mas o que eu quero frisar é justamente isso: os jogos hoje não são apenas um aglomerado de missões, tiroteios e pancadarias, tem uma história por trás, história essa que vivenciamos enquanto incorporamos o personagem quando estamos jogando.

Outro jogo que me encantou pela história, e cuja mesma tem uma importância crucial foi Uncharted. Esse ainda não tive a oportunidade de jogar, mas assisti ao gameplay como se fosse um filme, de tão boa que a história era. E foi impressionante como me envolvi com ele, torci para que no final ficasse tudo bem, e que o Nate e a Helena enfim ficassem juntos, apesar de todas as adversidades.

Contudo, vale apena falar também, que não é apenas esse estilo de jogo que conta uma boa história. Jogos mais simples, como Ori and the Blind Forest e Child of the Light, que contam suas histórias de maneira mais infantil, também possuem um enredo riquíssimo e cheio de detalhes que nos prendem tanto quanto os jogos citados acima. O importante não é a forma como o enredo é desenvolvido, mas sim contar uma boa história.

Enfim, espero que vocês tenham gostado do post, e a cada novo dia fico cada vez mais encantada com esse mundo gamer e com as histórias que ele quer nos contar. E assim como nos filmes, livros e séries, você pode escolher a história que mais lhe agrada, bastando apenas apertar o play para viver com seu herói uma grande aventura.

Abraços,

You Might Also Like...

8 Comments

  • Reply
    Alisson
    29 de agosto de 2016 at 11:25 am

    Oi Amanda, tudo bem? Ori e Child são jogos bem bacanas dentro de um contexto indie, que particularmente me agradam muito. Agora Tomb Raider e Uncharted são obras à parte. Joga-los no PS3 já foi uma imersão absurda, ainda mais pra old schools como a gente que vem apreciando a evolução dos games desde o saudoso Mário. Uncharted tornou-se uma de minhas franquias favoritas, misturando a aventura dos filmes do Indiana Jones, com uma pitada de comicidade bem leve, que somente a Naughty Dog sabe fazer, e belos cenários que as vezes nos confundem com obras do cinema. Todos jogos recomendadissimos! Se me permite recomendar um game que foi uma agradável surpresa, gostaria de indicar Ni No Kuni. Dê uma olhada nos trailers e depois me diga se curtiu 😉

    • Reply
      Amanda Almeida
      31 de agosto de 2016 at 8:24 am

      Oi Alisson, tudo bem?
      Concordo com você, Tomb e Uncharted são verdadeiras obras de arte. Procurei pelo jogo que me indicou e vi que é exclusivo do PS. :/ À vezes eu queria ter os dois consoles, pra poder jogar os exclusivos de cada um rsr.
      abraços,

  • Reply
    Lu Cruz
    29 de agosto de 2016 at 10:03 pm

    Eu AMO jogos que tem histórias que nos prendem. Na maioria das vezes a história me empolga mais que a jogabilidade e os desafios. A primeira vez que me apaixonei pela história de um jogo foi em Harvest Moon, lá na época do PlayStation1! Saudades hahah Beijos!
    Blog Vintee5 | Canal Vintee5

    • Reply
      Amanda Almeida
      31 de agosto de 2016 at 8:25 am

      Oi Lu,
      Também sou assim, preciso que o jogo tenha uma boa história pra contar, pra que eu me encante por ele.
      bjus

  • Reply
    Andréia Campos
    30 de agosto de 2016 at 12:22 am

    Vivo falando sobre esta assunto com meu namorado. Muitos jogos hoje em dia, os mais populares, não tem um enredo tão elaborado…
    A maioria é de atirar, bater, pular… apocalipse, guerra, blablabla. Não sei por sermos mulheres, mas eu realmente sinto falta de mais jogos voltados para este lado, de caprichar mais no enredo.
    Ah, eu não vi você falar de um muito bom no seu texto, então vou te indicar: procura um chamado “Life is Strange! 😉

    Beijos!!!!
    Andréia Campos
    http://petitandy.com

    • Reply
      Amanda Almeida
      31 de agosto de 2016 at 9:09 am

      Oi Andréia, tudo bem?
      Pois é, têm que ter um porquê e um pra quê né? Estou jogando ele e estou amando *-*
      bjus

  • Reply
    Clayci
    30 de agosto de 2016 at 12:01 pm

    Faz tempo que não jogo nada, mas amo ver a história por trás do jogo e do jogo em si.
    Uma história que eu gostei muito, foi do Metro 2033! O cara que criou teve toda a preocupação em detalhas e fez atÉ o livro do jogo..
    acho isso um máximo.
    Por isso que muitas vezes eu não levo em consideração o gráfico, me prendo só na proposta mesmo <3

    • Reply
      Amanda Almeida
      31 de agosto de 2016 at 9:20 am

      Eu também Clayci, porque muitas vezes o jogo tem um gráfico incrível, mas a história é sofrível.
      bjus

    Leave a Reply